Quereres

Quero ter sinceridade
Ser além dos acessórios
Ilusórios, utensílios
Quero ver atrás dos cílios
O olhar que me seduz

Ler, sentir... Sem esse cheiro
De fumaça, candeeiro
Seu poema de encomenda
Quem quiser que compreenda
Continue com seus vícios

Remendando cada rima
Dos versinhos de criança
Porque ser simplório cansa
Preto, branco, multidão
Fuja! Escravo do padrão.

Árvore de Natal

Paz
Amor
Confiança
Consciência
Companheirismo
É natal um prato cheio!
Malcriados, acreditem na existência
Papai Noel continua trazendo presentes
E para aquelas crianças grandes uma mensagem
Oxalá todos reflitam e se alegrem à sombra da árvore 
Pois, ainda que ocultos, amigos, no solo da vida plantamos
Respeito
Gratidão
Verdade
Justiça
União...
Assim amadurecemos, sê mente, fruto nessa árvore de natal.